NOTÍCIAS

iPhone faz 10 anos. Relembre 10 mudanças que ele causou

iPhone faz 10 anos. Relembre 10 mudanças que ele causou

by 9 de janeiro de 2017 0 comments

Em 9 de janeiro de 2007, no evento Macworld, o então CEO da Apple, Steve Jobs subia ao palco para anunciar um produto que a empresa havia trabalhado ferozmente, o iPhone. O aguardado smartphone da marca estava até então cercado de dúvidas e, até mesmo, ceticismo. Não era o primeiro desse tipo de dispositivo que aparecia no mercado e a marca teria de enfrentar concorrentes muito mais estabelecidos e com anos de experiência.

Jobs, em uma das falas do anúncio do aparelho, atacou diretamente esse ceticismo: “O iPhone é um produto revolucionário e mágico que está literalmente cinco anos à frente de qualquer outro telefone móvel”. E o lançamento foi definitivamente revolucionário. Mágico? Sim. Para a Apple, a forma como o smartphone dominou o mercado, impulsionou seu sistema operacional, valorizou a marca e mudou a forma como as pessoas olham para qualquer smartphone (sempre comparando com um iPhone) foi algo realmente mágico.

No aniversário de 10 anos desse “aparelho mágico” é bom lembrar pelo menos 10 mudanças que ele causou nos negócios, no comportamento dos usuários e na própria Apple. Em muitas coisas, o aparelho não foi inovador. Contudo, ele foi de tal forma bem feito que várias facilidades que outros tinham tentado só deram certo no iPhone.

1) Impulsionou a mobilidade nas empresas
Antes do iPhone, havia mais teorias e palestras sobre o futuro mobile das empresas do que ações efetivas. Muitas companhias, há 10 anos, compravam lotes de celulares para seus empregados. Esses, por sua vez, tinham que se adaptar às tecnologias que a empresa escolhia. Com o iPhone, os departamentos de TI é começaram a correr atrás da vontade e necessidade dos funcionários. Era o tal do BYOD (bring your own device – traga seu próprio aparelho) mostrando sua força.

2) Localização
A introdução de mapas e GPS no iPhone foi uma das coisas mais sensacionais que Steve Jobs e seus engenheiros nos deram. Outras marcas tinham tentado isso, sem muito sucesso. A facilidade de olhar o Apple Maps e o Google Maps ganharam os usuários e hoje ambas são duas das apps mais usadas no iPhone. Muitos negócios que envolviam localização e entregas só começaram a vislumbrar um futuro promissor porque os usuários começaram a usar mapas.

3) Carteira digital
Novamente, não foi algo que o Apple Pay surgiu, no iPhone 6, o mercado deslanchou para patamares só esperados para a próxima década. A tecnologia do sistema em si é sensacional, ela usa NFC e a segurança e autenticação dependem da biometria do Touch ID. Mas o que garantiu sucesso foi o árduo trabalho de parcerias com outras empresas do sistema financeiro, algo que outras marcas de smartphone não levavam muito a sério ou desistiam nas primeiras dificuldades.

4) Mensagens de texto e chamadas telefônicas
Foi o iPhone que deu impulso às mensagens de texto do modo como as conhecemos hoje, com suporte a MMS e SMS. Antes do aparelho da Apple, as conversas com alguém ficavam armazenadas como arquivos independentes. Para saber tudo o que havia sido conversado era preciso abrir arquivo por arquivo. O Messages começou a mudar isso no iPhone 3, em 2009. Hoje, as conversas estão incluídas de uma forma que basta rolar a visualização para cima ou para baixo. Os segundos economizados mudaram a forma como as pessoas se comunicam por textos, vídeos e imagens. Quem entrou em crise com isso foram as chamadas telefônicas. O iPhone mostrava que era muito mais do que algo para ligar pra alguém, era um dispositivo de comunicação completo.

5) Zoom
Se você é do tempo dos celulares tijolões e mesmo dos primeiro smartphones, deve lembrar que um problema que parecia insolúvel era o tamanho da tela. Quando eram pequenas, não dava para ver quase nada. Quando eram maiores, o aparelho virava um trambolho e as imagens ficavam sem definição. Steve Jobs orientou os engenheiros da Apple a criar um zoom de fácil uso. O modo como o iPhone aumenta e diminui a imagem da tela com um simples gesto comum dos dedos mudou radicalmente o mundo da tecnologia para usuário final.

6) Apps
Antes do iPhone, todas as empresas do ramo de mobilidade sabiam que era preciso encher o aparelho com uns programinhas legais. Algumas tinham se esforçado o máximo para fazer isso, colocando nos aparelhos o que elas achavam que o usuário gostaria. A Apple usou sua experiência de sucesso de loja virtual do iPod para mudar isso. Entendeu que o app era um negócio novo e ela deveria fazer o ambiente para isso crescer. Se hoje existem empresas bilionárias como Uber, Airbnb, Snapchat, etc, é por causa do iPhone.

7) Design
O cuidado com o design (no conceito não apenas de ser bonito, mas de ser bonito, útil e prático) era algo que Apple sabia que faria o diferencial do iPhone. Isso já tinha ficado claro no iPod. Em seu smartphone, a empresa usou todo seu conhecimento para dar um aparelho que, no primeiro olhar, causava suspiros. Robusto, fácil de usar, resistente, tela com a melhor imagem possível, comandos intuitivos, etc. E por dentro, uma tecnologia preparada para os anos que se seguiriam. O iPhone, com esse estilo e design, mudou ramos de negócio inteiro. Pergunte para qualquer empresa de games ou de conteúdo onde elas estariam sem o iPhone.

8) Touchscreen
As telas touch só tornaram-se padrão com o iPhone. Era algo imprescindível para o aparelho que Jobs imaginara Foi uma decisão que, talvez, só a Apple poderia ter bancado mesmo. O touchscreen era algo sensacional, mas tornava o aparelho muito mais caro. O fanatismo dos compradores de produtos da Apple foi que garantiu essa mudança de paradigma. Esse avanço abriu caminho para os tablets, para os sistemas operacionais novos da Microsoft, para novos negócios de comunicação e jogou uma pá de cal no ramo de computadores de mesa (desktops).

9) Obsolescência programada
O iPhone colocou aos olhos do usuário comum algo que muitas empresas praticam, a substituição costumeira de um produto por um novo de tempos em tempos. Mas a Apple colocou isso de forma radical. O iPhone lançado num ano é comprado com os olhos já no próximo, a ser lançado daqui a 12 meses somente. E não há como negar que o próximo será melhor. A Apple descobriu o segredo de fazer isso, ao menos com o iPhone.

10) Vida ao vivo
Selfies, podcasts, blogs, redes sociais, streaming e o que você conseguir imaginar que gere conteúdo sobre sua vida pode ser publicado imediatamente, de qualquer lugar e a qualquer momento hoje em dia. E isso é graças ao iPhone. O conjunto tecnológico que faz parte desde o primeiro iPhone previu que as pessoas gostariam de produzir conteúdo próprio e publicar isso para amigos, divulgar notícias, emitir opiniões, etc. O suporte para redes de telefonia e wifi, os apps, a tela touch, as câmeras sempre boas, enfim tudo que o iPhone possui abriu um território novo para a comunicação pessoal. De imagens imediatas de um fato histórico a fotos de pés no sol da piscina, as pessoas postam tudo que acham relevante. Se o aparelho da Apple não existisse, provavelmente para fazer isso hoje ainda estaríamos clicando em quatro ou cinco botões, abrindo três aplicativos simultâneos e tendo dores nos dedos para publicar algum conteúdo. Do outro lado, ninguém enxergaria nada porque a câmera seria ruim ou a tela dos aparelhos seria minúscula.

Acesse os outros sites da VideoPress

Portal Vida Moderna – www.vidamoderna.com.br

Radar Nacional – www.radarnacional.com.br

Nenhum Comentário

Seja o Primeiro a Comentar Este Post

Nenhum Comentário Ainda!

Seja o Primeiro a fazer um comentário.

Deixe uma resposta

<

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *