NOTÍCIAS

O vídeo não carrega e o coração dispara. Você não é o único estressado, aponta estudo

O vídeo não carrega e o coração dispara. Você não é o único estressado, aponta estudo

by 19 de fevereiro de 2016 0 comments

Existe algo mais estressante do que ficar esperando vídeo  carregar no celular? A edição do Relatório de Mobilidade da Ericsson, produzida especialmente para o Mobile World Congress, revela que essa é uma das principais causas de estresse entre os fãs de tecnologia. E essa chatice pode ter consequências desastrosas para o mercado. O impacto que diferentes níveis de desempenho da rede têm em usuários de smartphone reflete diretamente nas percepções das operadoras e provedoras de conteúdo digital.

Usando equipamento medidor de pulsação, rastreador ocular e tecnologia de eletroencefalografia sem fio (EEG), foi possível medir objetivamente as respostas emocionais a diferentes experiências com smartphones. Atrasos para carregar páginas da web e vídeos, tendo um limite tempo, fizeram com que a frequência cardíaca de usuários de celulares aumentasse, em média, 38%. Atrasos de seis segundos na transmissão de vídeos fizeram com que os níveis de estresse aumentassem em um terço.

estresse_estudo

Assistir a um filme de terror ou esperar o vídeo carregar? A sensação é a mesma

Para contextualizar, o nível de estresse é equivalente à ansiedade de realizar um teste de matemática ou de assistir a um filme de terror sozinho e ainda maior que o estresse sentido ao ficar na ponta de um penhasco virtual. Quando um vídeo começa, uma pausa adicional pode fazer com que os níveis de estresse aumentem dramaticamente.

No estudo, o Net Promoter Score (NPS) – índice que mensura o grau de satisfação e fidelidade dos consumidores e clientes – de uma operadora aumentou significativamente quando associado a uma experiência sem atrasos – aumento de 4,5 pontos. Essa descoberta também foi…[LEIA MAIS]

 

Pages: 1 2

Nenhum Comentário

Seja o Primeiro a Comentar Este Post

Nenhum Comentário Ainda!

Seja o Primeiro a fazer um comentário.

Deixe uma resposta

<

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *