NOTÍCIAS

A patente maluca do Google que quer “grudar” pedestres no carro autônomo

A patente maluca do Google que quer “grudar” pedestres no carro autônomo

by 19 de maio de 2016 0 comments

O Google registrou a patente de um invento no mínimo curioso. A empresa está preocupada em evitar acidentes com carros autônomos, ou carros robôs que não precisam de motoristas, e para isso quer evitar que os pedestres sejam arremessados longe em caso de atropelamento. Como fará isso? Oras, grudando a pessoa no capô.

Estranho? Parece que sim. A patente foi recebida como uma piada nas redes sociais. “É o novo app de carona do Google”, dizia a maioria dos comentários. Mas a empresa parece estar levando isso bem a sério.

Os primeiros testes de seu carro autônomo mostrou que o risco de atropelamento existe. Parece não ser maior do que um carro comum. Mas o Google, assim como outras empresas que estão de olho nesse mercado, acreditam que ao evitar mais acidentes, o produto teria mais sucesso.googlecar

A patente do Google é uma solução única que coloca um adesivo semelhante à uma cola na extremidade dianteira do carro autônomo. O documento descreve o revestimento pegajoso como uma forma de pegar pedestres em caso de uma colisão, a fim de minimizar os danos.

Sem visão
Pode não ser a resposta mais engenhosa para isso, mas evitar que a pessoa seja arremessada longe ou arremessada para trás do veículo evitaria mortes e lesões maiores.

A solução é, aparentemente, só para carros robôs sem motorista. Ter um pedestre colado na frente do carro tamparia a visão de quem dirige e os acidentes poderiam ficar ainda mais graves. No caso do carro autônomo, seus sensores e tecnologia embarcada de localização poderiam brecar suavemente o veículo ou encaminhá-lo com segurança para um acostamento ou lugar livre.

Acesse os outros sites da VideoPress

Portal Vida Moderna – www.vidamoderna.com.br

Radar Nacional – www.radarnacional.com.br

Nenhum Comentário

Seja o Primeiro a Comentar Este Post

Nenhum Comentário Ainda!

Seja o Primeiro a fazer um comentário.

Deixe uma resposta

<

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *